sábado, 11 de abril de 2009

Ena tantos!


Olá pequenos raios de Sol, daqueles raios carregadinhos de UV que se vão enfiar naquele bocadinho de pele da barriga das pernas em que nos esquecêmos de por protector e depois aparece um escaldão que nem podemos vestir t-shirts.

Ora, o que me traz cá hoje é relativamente simples, e passo directamente ao tema. Porque é que há tanto filme sobre a vida de Jesus? São todos iguais?

Por exemplo, hoje deu um que era uma estreia, mas eu já sabia a história, nasce de uma Virgem (?), fica com o burro e a vaca, é baptizado, forma um gang porreiro, faz um truques de magia, é espetado num pau e morre. Admito que como estava a ver uma estreia, tive a esperança que ele não morresse no fim, e que ainda desse cabo do italianozeco que tinha a mania que era o maior, mas não, foi exactamente igual, o que é relativamente decepcionante, para além de chato.

Se querem uma sugestão, mudem um bocadinho um enredo, que assim não tem piada nenhuma, é só um desperdício de dinheiro.

6 comentários:

Teté disse...

Hummm... essa tua versão é muito semelhante à que o meu filho tinha hoje, à hora do almoço.

Ainda metia era a "galdéria" da Maria Madalena pelo meio... :)

Beijocas e aproveita os feriaditos!

melga disse...

Esqueci-me da mulher. Bahh! :)

Estive a trabalhar hoje, e amanhã repito a dose.
Como posso gostar Dele se me obriga a trabalhar, e ainda por cima faz perder o Benfica?

Páscoa Feliz para ti e todos os teus! :)

[Just_Me] disse...

Gostei mais da ideia das t-shirts para a barriga das pernas...

Boa Páscoa :)

melga disse...

Esse é um pensamento bonito. :)

Estica disse...

Deixa cá ver ... essa do enredo acho que é uma dica para mim.

E que tal o Gajo (tem de ser com maiúscula, não é?) nascer lá no estábulo e tal, e depois quando for mais velho dar umas sacholadas na Madalena, com o gang dele roubar umas carroças (ameixas, figos e essas cenas) e no fim, em vez de ser espetado num pau, matar o gajo que lhe faz a vida negra.

Parece-me altamente.

melga disse...

Esqueço-me sempre das gajas. Ser panasca faz-me esquecer muita coisa.